• Marcelo Pereira

Samba em Berlim - parte l

Neste ano de 2020 faz 75 anos que a segunda guerra mundial acabou, nesta postagem vamos falar das influências que essa guerra teve no consumo do Brasil, mais precisamente na mistura de coca-cola com cachaça, vamos entender o contexto histórico desta mistura diplomática.



Os Pracinhas

Vamos começar pelo nosso povo os brasileiros, os que atuaram nesta guerra eram conhecidos como Pracinhas tinha esse apelido por conta da expressão "sentar praça" que significa se alistar nas Forças Armadas. O apelido era dado aos soldados rasos que possuíam a patente mais baixa.


Para saber mais sobre os pracinhas acesse o link aqui

https://brasil.elpais.com/brasil/2014/04/18/politica/1397851823_514835.html



Com o efetivo da Força Expedicionária Brasileira (F.E.B.) de 25 mil pracinhas a ajuda do Brasil foi estratégica, os pracinhas eram compostos em sua maioria por civis de farda assim como o veterano de guerra João Ferreira de Albuquerque diz em entrevista a BBC.


A segunda guerra mundial ocorreu de 1939 até 1945, o governo do Brasil não queria entrar na guerra, apesar de alguns historiadores escreverem que o governo Vargas a época simpatizava com o nazifascismo, a população chegou a dizer que era mais fácil uma cobra fumar do que o Brasil entrar na guerra, foi nesta situação que essa expressão nasceu e foi aí que o símbolo dos pracinhas ganhou forma de uma cobra fumando um símbolo informal adotado pelas tropas brasileiras.

O soldado da FEB, Yoas Esoi de Lima, de Porto Alegre - BR.

Bebe avidamente leite fresco no Station Hospital Mess, no Camp Patrick Henry, em Newport News. Observe o remendo do ombro.



Coca-Cola no Brasil

A segunda guerra mundial também fez com que o abastecimento de coca-cola no Brasil começasse, tudo se iniciou com uma promessa do presidente da empresa dizendo que nunca deixaria faltar uma garrafa de coca-cola para as forças armadas americanas.


Em 1941 os E.U.A. entraram na guerra depois ao ataque de Pearl Harbor feito pelo Japão no mesmo ano foi fabricado o refrigerante pela primeira vez no Brasil mais precisamente em Recife a capital de Pernambuco que formava junto com Natal o "corredor da vitória" ou "trampolim da vitória" parada obrigatória para embarcações e outros veículos militares que rumavam à guerra.


Naquele período esta localidade no nordeste brasileiro era ponto estratégico para todos os participantes da guerra, pois é a região mais próxima do norte do continente africano local onde a guerra também ocorria, o Brasil entrou na guerra depois que vários navios mercantes brasileiros foram atacados pelo exército das forças do Eixo em 1942, neste ano oficialmente o Brasil declarou guerra, mas somente depois de criar a F.E.B. em 1943 e recrutar voluntários foi que o Brasil entrou na guerra com força militar e em 1944 rumou a Itália.


Com tropas americanas abastecidas frequentemente pela coca-cola e espalhadas por diferentes regiões do mundo foi neste momento que a marca de refrigerantes se tornou global.



Na década de 1940, a The Coca-Cola Company se expande pelo Brasil.

 Em 1943 é a vez do estado de São Paulo ganhar sua primeira filial.

O cartaz acima é de 1948.



A Política da boa vizinhança


Os Estados Unidos o mais novo aliado do Brasil queria tornar o laço cada vez mais forte com toda a América Latina, um marco foi a Feira Mundial de Nova Iorque de 1939, o caminho da diplomacia norte-americana estava sendo construído com linhas de cruzeiros marítimos, investimentos do governo em propaganda e introdução de figura ou elementos latinos na cultura estado-unidense.


Em 1942 surgiu o Zé Carioca, desenhado exclusivamente para o Brasil, na mesma época a Carmem Miranda estava em voga, mensagens como essa de publicidade até a própria coca-cola representam bem essa política.


Com acordo diplomático liderado pelo Oswaldo Aranha por parte do Brasil, a negociação com os Estados Unidos rendeu investimentos em campos de siderúrgicas, equipamentos militares e mineração, em troca foi cedido pelo governo brasileiro vários espaços para as forças armadas americanas que construiu bases aeronavais no litoral do nordeste brasileiro como vimos a cima, os americanos destas bases eram apelidados de 'coca-cola'.



Exemplo de política da boa vizinhança é este desenho acima criado pelo

próprio Walt Disney homenageando as forças da F.E.B.



PARA ACOMPANHAR A PARTE II CLIQUE AQUI

0 visualização

Site criado por Pocket Creative Lab